Ascenty confirma posição de liderança na América Latina com a construção de dois data centers no México

Fonte: datacenterdynamics.com 

Cada unidade tem área de 24.000 m² e possuem capacidade de carga de 30 MVA de energia. O investimento total nas duas unidades é de US$ 300 milhões

Confirmando uma posição de liderança na região, a Ascenty acaba de iniciar simultaneamente duas obras no México. Localizados no estado de Querétaro, os dois novos data centers, estão previstos para iniciar as operações em 2021. Cada unidade tem área de 24.000 m² e possuem capacidade de carga de 30 MVA de energia. O investimento total para a construção das duas unidades é de US$ 300 milhões.

No total, a Ascenty completará 21 data centers em três países (Brasil, Chile e México), ampliando sua abrangência de atendimento às demandas de clientes nacionais e multinacionais.

Para falar sobre essa expansão a DCD conversou com o CEO da Ascenty. Sob o comando de Chris Torto, que é cidadão norte-americano, natural de Boston – Massachusetts, com residência permanente no Brasil desde 1989, a Ascenty, fundada em 2010, é hoje uma das maiores provedoras de data centers do Brasil. A empresa tem se concentrado na construção e operação de data centers de classe mundial. Para apoiar seus projetos de expansão, a Ascenty conta, hoje, com investimentos da Brookfield, uma das maiores gestoras de ativos do país. E, com a Digital Realty, que integra uma rede global de mais de 260 data centers localizados em toda a América do Norte, Europa, América Latina, Ásia e Austrália. Confira a entrevista exclusiva, a seguir.

Tatiane Aquim: Por que iniciar simultaneamente a construção de dois data centers no México? Por que não apenas um?

Chris Torto: Temos projetos com clientes que precisam de mais de um site e, em função da demanda reprimida de data centers para o mercado de Hyperscale no México, decidimos investir pesadamente desde o início. Acreditamos que temos muito mais demanda pela frente.

Continuar lendo…

Ciclo de vida dos dados: sua empresa está gerenciando?

Imagem: Pixabay

O grande volume de dados gerados pelas empresas no cenário atual exige um cuidado adicional com o gerenciamento e proteção do ciclo de vida dos dados. A preocupação dos gestores e profissionais de TI é compreensível, já que precisam atender à demanda crescente de armazenamento, bem como de banda de rede e de sistemas de segurança para prover os requisitos básicos de confidencialidade, integridade e disponibilidade dos dados.

As políticas baseadas no fluxo de dados que alimentam os sistemas de informação ao longo do seu ciclo de vida, desde a criação, armazenamento, processamento, compartilhamento e exclusão após ficarem obsoletos, requerem políticas e sistemas de segurança para evitar violação nos dados, como quebra de integridade, perda de dados e vazamentos para pessoas não autorizadas.

Imagine que um dado específico é coletado e em seguida é inserido num Banco de Dados. Outros dados serão gerados e capturados com a frequência definida pelo DBA e serão utilizados para a geração de relatórios e análises de BI (Business Intelligence). Estes dados precisarão ser validados durante o seu ciclo de vida para garantir a sua integridade e consistência. Ao final do seu ciclo de vida, estes dados poderão ser arquivados para consulta futura ou então serão eliminados.

Benefícios da gestão de dados para as empresas

Segurança dos dados

Conforme a figura 1 abaixo, todo o ciclo de vida dos dados deve combinar políticas de segurança, como as práticas recomendadas pela IS0 27001, simultaneamente com ferramentas para protegerem os dados contra violações.

Continuar lendo…

Tendências de Cloud e Computing em 2020

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay 

Provedor de serviços, entenda como o mercado continua crescendo esse ano

Empresas e indivíduos que quiserem armazenar um grande volume de dados ou executar análises mais arrojadas usando a nuvem, obterão mais eficiência em seus objetivos com essas soluções, devido ao aumento exponencial de armazenamento em nuvem.

Um estudo divulgado pela Unisys aponta que o uso de data centers privados deve passar de 43%, em 2017, para 29% em 2019. Por outro lado, o armazenamento de dados na nuvem deve aumentar entre 20% e 28% em 2020.

Continuar lendo…

O papel dos data centers na proteção de dados

Imagem: Ascenty 

Texto por: Marketing, Ascenty Data Centers 

Estudos recentes apontam que o Brasil segue como alvo mundial de ataques cibernéticos. No último trimestre, o país sofreu 15 bilhões de tentativas de fraudes, de acordo com levantamento da Fortinet, e continua bastante vulnerável a vazamento de dados, como no caso do Facebook no último ano, que afetou mais de 400 mil brasileiros. Proteção de dados, no entanto, é tema que transpassa a fronteira nacional e está em evidência em todo o mundo. A criação de importantes regulamentações, como a GDPR, na Europa, e da LGPD, no Brasil, surgem para reforçar as estratégias de empresas e governos para proteger os dados dos usuários.

Nesse cenário, o setor de data centers, responsável pelo armazenamento das informações, deve estar preparado para atender às regulamentações e demandas dos clientes por segurança. Apesar de não atuarem diretamente no processamento dos dados dos usuários, cabe aos provedores de infraestrutura garantir a proteção física dos ambientes para a gestão segura das informações.

Continuar lendo…

Ascenty impulsiona negócios da DataSafer com infraestrutura de alta qualidade e escalabilidade de serviços

Por Maria Eduarda Amorim da Advice Comunicação Corporativa

A Ascenty, empresa do mercado de data centers com foco na América Latina, apresenta os resultados positivos da aliança firmada há mais de cinco anos com a DataSafer, companhia focada em soluções de backup e armazenamento de dados em nuvem. O contrato, que contempla serviços de colocation para a hospedagem do ambiente de dados da DataSafer na infraestrutura da Ascenty, impulsionou o crescimento da companhia no Brasil e tornou-a referência no mercado pela qualidade dos serviços ofertados.

O acordo teve início em meados de 2013, quando a DataSafer, recém-chegada ao mercado brasileiro, enfrentava o desafio de ter uma infraestrutura de nuvem própria de alta qualidade (assim como as disponibilizadas pelos grandes cloud providers), contando com poucos recursos financeiros para iniciar o projeto. A Ascenty selou a parceria estratégica oferecendo infraestrutura de data center de classe mundial, certificada pelas principais instituições do mercado, com preços competitivos e ajudou a empresa a se fortalecer no setor de cloud.   Leia mais…

Ascenty vai construir 5 data centers no Brasil até 2017

A Ascenty, operadora de data centers e serviços de  telecomunicações, pretende inaugurar cinco data centers no Brasil até 2017.
Dois deles estão sendo construídos na cidade de São Paulo e devem ser inaugurados no primeiro trimestre de 2017, junto com outro a ser erguido no Rio de Janeiro. Já para o trimestre seguinte a este, a empresa pretende iniciar as operações de um segundo data center em Campinas (SP) e outro na cidade vizinha, Sumaré (SP).

O executivo também afirma que será construído o primeiro data center na América do Sul fora do Brasil. Previsto para o terceiro trimestre de 2017, o empreendimento será localizado em Santiago, no Chile.

Leia mais…